terça-feira, 30 de novembro de 2010

Esporte e profissionalismo

No último fim de semana participei dos Jogos da Juventude,  coordenado pelo CONI Brasile , realizado na Capital do Paraná, Curitiba. O meu papel no evento foi o de  coordenar a competição de atletismo para meninos e meninas com idade entre 13 e 15 anos.
Chamou minha atenção a postura e dedicação dos profissionais e dirigentes esportivos do Paraná, no sentido da preocupação e ação com relação a organização e disponibilidade para que o evento transcorresse da melhor forma, privilegiando o bem estar dos participantes.
O Clube Curitibano uma verdadeira organização empresarial que cuida do esporte com profissionalismo e com qualidade da área da educação física, dedicados,  e bastante responsáveis, com seus diretores atentos para que tudo acontecesse dentro do planejado.
Faço este comentário como administrador esportivo, com a experiência que tive gerenciando Clubes como o EC Pinheiros, o São Paulo F.C.,  entendo que a administração esportiva do Clube Curitibano é feita com muita seriedade e profissionalismo.   A pista de atletismo e as dependências da Universidade Positivo em Curitiba servem de exemplo para outras praças esportivas do pais.
O Paraná está de parabéns pela sua estrutura,e tambem o cuidado com o meio ambiente.
Nossos dirigentes preocupados com os Jogos Olímpicos que logo chegarão, o Campeonato Mundial de Futebol que se avizinha, devem procurar verificar a força, a organização, o dinamismo, do esporte no Paraná.
Podemos ter uma lição de como uma competição internacional poderia ser montada com pessoas sérias e competentes.
Faço questão de parabenizar os esportista e dirigentes de Curitiba e do Clube Curitibano.
Carlos Ventura - Carlão

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

O piso ideal


Abebe Bikila - 1960.
   O ideal para o fundista ter um bom desempenho técnico é 
adaptação em um piso relativamente "soft"- macio.
Seguindo o padrão da escola italiana e portuguesa, oriento
meus atletas fundistas a correrem preferencialmente em
estradas e caminhos de terra, procurando usar terrenos
montanhosos e acidentados.
Os atletas que vivem em cidades como São Paulo, Rio de
Janeiro e outras capitais, às vezes tem dificuldade de
encontrar terrenos macio, sendo obrigados a correr no asfalto.
Entretanto podemos evitar o impacto forte e por vezes
negativos que atingem as articulações e músculos dos membros
inferiores usando tênis adequados ou sistematizando ritmo de
corrida adequado a seu peso, evitando-se também o trabalho
anaeróbio.
Grandes maratonistas, semanalmente fazem percursos longos de 20 
a 30 km em asfalto, não tendo problemas de contusão e adaptando-se ao
terreno similar ao da maratona ou prova de rua. Como afirmo
no livro "Aprendendo a Correr", o asfalto não é um vilão, e
campeões mundiais obtiveram bons resultados treinando em terreno 
considerado duro.
Logicamente a tecnologia nos ajuda, oferecendo calçados
adequados que minimizam a probabilidade de conseqüências
negativas, devemos observar que os preços são proibitivos
para uma grande maioria dos praticantes de corrida.
Para esta maioria é importante lembrar que mais vale o
objetivo, trabalho e força de vontade, sem o que Abebe Bikila
não teria sido Campeão Olímpico da Maratona em Roma, correndo descalço
a frente de uma centena de atletas bem calçados.

Carlos Ventura - Carlão

sábado, 27 de novembro de 2010

Adolescentes e o treinamento

O desenvolvimento de habilidades para jovens deve ser feito de forma gradativa respeitando as particularidades do crescimento.
Este crescimento é ósseo - muscular - neurológico - psicológico/ emocional-social.

Na faixa etária de 11 e 12 anos devemos através de atividades lúdicas oferecer fundamentos básicos do Atletismo com jogos e trabalho em equipe

Na faixa etária dos 13 a 14 anos, procurar incrementar técnicas educativas de acordo com o potencial que cada individuo apresenta. No caso do atletismo especificamente devemos oferecer uma atividade em que haja a possibilidade de uma hipertrofia cardíaca através do que os treinadores americanos denominam como L.S.D. (long – slowly – distance), ou seja, correr longas distâncias lentamente, o que proporcionará uma atividade benéfica muscular para o coração que é um músculo involuntário e que tendo seus batimentos controlados fará com que seu praticante tenha uma vida esportiva sem problemas de lesões, contusões ou problemas cardiovasculares.

Nos treinamentos de pista, de acordo com a base adquirida pelo atleta o treinador pode sugerir treinos dos mais variados desde um corredor de velocidade até um corredor de longas distâncias, no caso específico de corridas em pista existem treinamentos de repetição como corridas que denominamos “tiros” que podem ser de 40 / 50 metros, repetições de 200 / 400 / 600 / 1.000 metros e assim por diante.

O leque de treinamento varia de atleta para atleta, de técnico para técnico, de acordo com a periodização do planejamento do treinador.

Quando atletas começam a basear-se em planilhas de treinamentos genéricas fogem completamente do horizonte de cada treinador, por isso o treinamento tem que ter um follow-up intenso e presencial de cada treinador, principalmente nas faixas etárias anteriormente citadas.
A planilha é uma ferramenta de capital importância para o trabalho do treinador, mas desde que usada com adequação e não eliminando o contato pessoal e o inter-relacionamento com o atleta, o contato presencial é importante para apurar a performance e redirecionamento do planejamento e da periodização.

É muito comum pessoas leigas, como pais e interessados seguir planilhas, o que eu particularmente não aprovo.

A cada momento o atleta pode apresentar variações não previstas pelas planilhas genéricas (dor de cabeça, noites mal dormidas, estresse profissional ou escolar, problemas emocionais, alimentação inadequada, problemas musculares, etc).

Muitas vezes as pessoas apegam-se a uma planilha por estar publicada em uma revista e foi montada por um profissional competente, porém os corredores não se preocupam ou não tem o conhecimento para adequar à planilha genérica a suas condições no momento, cometendo exageros e desrespeitando os próprios limites.

Cada individuo é um universo e como tal deve ser trabalhado de acordo com as suas potencialidades.

Carlos Ventura - Carlão

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Treinamento em Altitude


Arequipa - Peru
Campos do Jordão - Br.

  
 O treinamento em altitude é um tema bastante discutido entre corredores de fundo de todo o mundo.


Meus atletas já treinaram na altitude de Bolder, no Colorado, Saint Moritz na Suiça, nos Alpes de Valtelina na Italia, Arequipa no Perú, e os resultados foram ótimos, tanto em provas de rua como maratonas e provas de pista.
Fui precursor de treinamentos em Campos do Jordão em SP, juntamente com o amigo Coronel Correia,da policia Militar, na década de 70, daquela época para cá com os resultados magníficos do José João na São Silvestre e seus recordes nos 10.000 m e 5.000m todos começaram a ir para Campos do Jordão, pensando no condicionamento em altitude.
Nossos treinamentos jamais objetivaram condici onamento pela altitude, o que buscávamos naquela  cidade eram as trilhas em terreno montanhoso, ambiente sem poluição, concentração total e sobretudo afastar meus atletas da intranqüilidade de São Paulo.
Campos de Jordão não tem altitude para buscar performance, tem em média 1.400 metros de altitude.
A altitude considerada ótima para adequar o atleta é 7.000 a 8.000 pés o que equivale a 2.100 a 2.400 metros de altitude.
Em fevereiro de 2000 no Simpósio Internacional sobre treinamento em altitude,  que aconteceu na cidade de Flagstaff no Arizona (USA) confirmou-se esta tese.  Altitudes acima de 2.700m são prejudicial ao corredor, como aconteceu com meu amigo Franco Fava na Bolívia.
Campos do Jordão é tão espetacular que corredores convidados por nós como a atleta olímpica de Portugal, Rosa Mota  treinaram lá e aprovaram nossa programação, outros atletas portugueses também lá estiveram.
Já ouvi em palestras pessoas afirmarem a necessidade para performance da altitude de Campos do Jordão o que é um engano.
Entretanto, recomendo a todos que treinem lá, vale a pena, pois acima de tudo o atleta disciplinado conseguirá bons resultados.
Solidão, disciplina e introspecção são fatores fundamentais na busca de bons resultados.

Carlos Ventura - Carlão

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Vamos viver melhor

 Existe uma enorme diferença entre o individuo que faz esporte por prazer para recrear-se e o individuo que faz  esporte para atingir bons resultados e marcas pessoais pela competição.


                Na alta performance o individuo pode ser comparado a um carro de Formula 1, está sempre em risco de quebrar e ir para os boxes, a pessoa fica próximo do ponto maximo de tensão emocional e físico, sempre com o risco de contusões.
              Para podermos viver mais e melhor, dependemos de nossa condição física e mental saudável, que pode ser beneficiada pela atividade física,
estar em boa forma é quando conseguimos unir estes dois fatores.

           A atividade física e o lazer para atingirmos saúde e qualidade de vida independe da idade de cada pessoa.
Procurar "performance" é algo muito delicado e que coloca em risco a saúde, diversamente da atividade que é praticada por prazer.
          A partir dos 28 a 30 anos o  ser humano começa a perder cerca de 1% ao ano de sua capacidade vital, por este motivo que a pratica de atividades aeróbias é  recomendada.
         A corrida e a caminhada com o controle dos batimentos cardíacos, a medição freqüente da pressão arterial, a alimentação equilibrada faz com que a pessoa tenha um norte seguro com relação a  longevidade saudável.
        Em qualquer idade o individuo pode correr, caminhar, viver bem com alegria, isto é realmente um investimento seguro.
        Para qualquer pessoa idosa a atividade física deve ser incrementada, logicamente após uma avaliação médica.
  
Portanto, todos colocando seus tênis, sua bermuda, seu calção, protetor solar e pé na estrada.

Carlos Ventura - Carlão

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Joelhos do corredor

De todas as modalidades do esporte, a corrida de longa distancia é a que causa maior índice de contusões nos joelhos dos corredores. Pesquisas feitas em maratonas (42km195m) indicaram que o tipo mais comum de lesões nestas provas.
Isto acontece por um fator muito simples, a sobrecarga em função da repetição contínua dos impactos, as contusões acabam se desenvolvendo nos tecidos pelo esforço repetitivo  e ocasionam uma degeneração.


Corredores de alta performance principalmente, com treinos diários e às vezes duas vezes por dia, repetem as passadas milhares de vezes em poucos dias, nos terrenos mais variados possíveis (terra, lama, areia, asfalto, grama, paralelepípedos).
Entre os praticantes de Triatlon, existe um percentual com cerca de 60% das contusões na corrida, 30% no ciclismo e 3% na natação. Estes dados percentuais indicam a corrida como principal agente de contusões.
A corrida é uma atividade de alto impacto, o que não acontece na bike nem na água.
Para exemplificar podemos dizer que cada batida dos pés no solo equivale a duas ou três vezes o peso do corpo do corredor.
Este impacto dos pés se desloca passando pelos joelhos, pélvis, quadris indo até a coluna vertebral.  Imaginem um tremor de terra, um pequeno terremoto abalando um edifício que é o corpo do corredor.
Assim as lesões acabam se sucedendo nas partes mais sensíveis do organismo.
Corredores que treinam com mais velocidade e intensidade, acabam tendo contusões no tendão de calcâneo ( chamado de Aquiles) e acabam desenvolvendo a síndrome da dor patelo-femural, a força do impacto do calcanhar ou da ponta dos pés  sobe até os joelhos.
A mulheres corredoras de longas distancias tem mais possibilidades deste tipo de problema, pois, o corpo feminino anatomicamente induz a contusão.
A sugestão para evitarmos este  problema que todo fundista pode ter é procurar um calçado (tennis) mais adequado para a sua pisada, correr mais descontraidamente possível, a característica de um bom corredor é a sua descontração, costumamos orientar os atletas para que corram e procurem bater os pés no solo sem fazer barulho, educativos de corridas são importantíssimos e poucos fundistas os fazem.
Correr com muita intensidade nem sempre é favorável nos treinamentos.
As pausas de recuperação de um treino para outro devem ser de no mínimo 16 horas.
Treinar adequadamente não é dar sofrimento para seu corpo.


Carlos Ventura - Carlão

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Quedas e tropeções



Muitos corredores, durante sua atividade em bosques e terrenos variados, principalmente idosos ou pessoas sedentárias se queixam que tem rotineiramente sofrido tropeções e quedas, as justificativas são: lá no bosque X, lá no Ibirapuera, lá no Bosque do Morumbi, lá no meu sitio, naquele percurso que às vezes faço em uma determinada estrada tenho tropeçado em raízes de arvores que estão expostas, ou tropecei em uma pedra etc.

Realmente é comum pessoas que correm em lugares com muitas arvores, tropeçarem em raízes, sofrerem quedas o que é bastante perigoso.
Quando corredores  relatam o problema, e  culpam as raízes das arvores por determinada queda sofrida, devemos lembrar que o problema não são as raízes das arvores, tampouco a ondulação do piso ou pedras onde correram e tiveram uma queda.O problema é com suas pernas que quando são solicitadas para correr não promovem uma elevação adequada dos joelhos, por isto muitas pessoas principalmente pessoas com bastante idade sofrem quedas às vezes tendo escoriações, fraturas, nos braços, nos ombros para proteger-se do tombo.
Observo  muitos corredores quando chegam no Parque do Ibirapuera, no Parque Vila Lobos, no Bosque do Morumbi, simplesmente mal se aquecem e iniciam ansiosamente suas corridas.
Sugiro a todos os corredores, principalmente aqueles que estão iniciando agora sua atividade aeróbia que procurem executar, driblings, anfersens, skippings, haups erlaufens, para alem dos educativos que são necessários , fortalecerem suas pernas.
Os corredores que quase não tiram o pé do chão, que correm quase roçando a pontas dos pés no solo, precisam fazer exercícios localizados para os membros inferiores, fortalecendo a musculatura, isto se obtém praticando educativos de corrida, saltitamentos, leg press, subir escadas, pular corda, etc.

Carlos Ventura - Carlão

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Nossa Saúde


Toda a atividade física feita adequadamente é positiva para a nossa saúde.
É de fundamental importancia para o individuo antes de iniciar um processo de condicionamento físico, fazer um check-up médico preventivo, preferencialmente com um médico especialista em medicina do esporte.

Logicamente o follow-up e um educador físico é aconselhável, a função do médico esportivo é liberar o individuo a atividade física e dar parametros ao educador físico sobre a pessoa, no caso voce, isto é segurança.
Toda a pessoa, em qualquer faixa etária quando bem orientada, acaba por ter uma dose de auto estima aumentada, começa então uma nova fase e uma pratica da boa qualidade de saúde.
Seus batimentos cardiacos passam a ficar mais lentos e mais potentes, a pressão arterial se estabiliza, as gordurinhas excessivas vão desaparecendo, as atividade sexual e mental melhoram.
As caminhadas e corridas com tempos estimados entre 35 e 40 minutos diminuem as taxas do mau colesterol (LDL), evidenciam o bom colesterol (HDL), os ossos ficam fortalecidos evitando problemas como a  osteoporose.
Com esta atividade aeróbia o cerebro fica melhor oxigenado, muito mais eficiente aumentando  o gráu de agilidade no raciocinio e na intelectualidade, tarefas que exigem reflexão, análise, solução de problemas, são mais facilmente solucionadas.
Sua sáude estará melhor, a sua longevidade estará assegurada.
Apenas como lembrete:
A Organização Mundial de Saúde manifestou-se dizendo que,
"Saúde é o completo bem estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doença".

Carlos Ventura - Carlão

domingo, 21 de novembro de 2010

Gasto de Calorias


O nosso corpo consome energia permanentemente, inclusive quando estamos repousando.
A perda do calor corporal e a consequente sudorese são devidas ao esforço físico feito  e também pelo resultado de processos físicos da condução e evaporação da água, esta situação é ligada ao nosso mecanismo fisiológico que determina a quantidade de calor que vai para a epiderme (pele) e o suor disponivel que vai cobri-la e sua posterior evaporação.

A transpiração fornece a quantidade de água necessaria para umedecer a superficie epidérmica e de imediato provocar um efeito refrescante durante e depois  do esforço, isso acontece em uma caminhada, em uma corrida mesmo que não seja de longa duração, em saltos, lançamentos, arremessos.
Uma pessoa caminhando ou correndo pesando de  65 a 70 kg, dependendo do ritmo empregado consome de 200 a 800 calorias/hora.
Qualquer atividade que consuma acima de 700 calorias/hora deve ser evitada, por pessoas que não estejam adequadamente preparadas, não devendo por conseguinte exercitar-se por mais de 60 minutos.
Quando o consumo calórico for abaixo de 700 calorias/hora em um trote lento por exemplo não há problemas, entretanto o personal, o treinador, o técnico devem ficar atentos a uma adequada reposição hidrica.
Duas pessoas correndo ou caminhando juntas, apresentarão consumos calóricos diferentes, mesmo que suas caracteristicas e performances sejam iguais, as condições metabólicas de cada individuo são diferentes.
Não existem pessoas iguais,  por isto afirmo que a diferenças entre ela produzem resultados diversos.


Carlos Ventura - Carlão

sábado, 20 de novembro de 2010

Corrida longa e lenta


A corrida longa e lenta é a principal ferramenta para uma excelente formação do corredor de fundo.
Conceituo como corrida longa um tempo estimado em pelo menos 40 minutos.
Alguns corredores correm lentamente por cerca de duas horas, o que pode ser considerado normal.
Para que isso seja factível, o fundamental é o controle da freqüência cardíaca.
O treinador por intermédio de testes deve indicar a faixa de batimentos  para cada corredor.
Com a continuidade dos treinamentos e batimentos cardíacos pré-estipulados a corrida vai se tornando dia a dia mais tranqüila e o corredor menos ofegante,  o ritmo mais adequado, daí então muda-se a faixa de batimentos.
Algumas mudanças acontecerão na capilarização, o sangue flui para os músculos através dos milhares capilares, permitindo a troca de substancias vitais, carregando os músculos com  energia.
A corrida longa e lenta, aumenta a rede de capilares consideravelmente.
Esta forma de treinamento  adapta o corpo do corredor para corridas mais fortes e melhora a resistência aeróbia.
Caso você esteja iniciando um preparação para ser corredor de longas distancias, lembre-se que o seu resultado futuro, as boas performances vão depender fundamentalmente de corridas longas e lentas.
Meu conselho, controle sua ansiedade em querer correr rápido.

Carlos Ventura - Carlão

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Valorizando a Criança




Delegação do Brasil

Há muitos anos como  técnico de atletismo acompanho a participação de meninos e meninas oriundos de italianos do Brasil nos Jogos da Juventude, que acontecem na Itália, organizados pelo CONI.

A maior preocupação do nosso Presidente Prof. Alfredo Apicella delegado do CONI-Brasile,  são as crianças,  desde as preliminares nacionais até as finais na Itália,
A preocupação com o bem estar dos jovens participantes e com a tranqüilidade dada aos pais  faz com que os professores responsáveis, tenham se desdobrar no intuito de priorizar a disciplina, com todos os aspectos e variáveis, como os  horários de embarque, estadia, transporte, alimentação, higiene.
 A atenção contínua aos  pais e responsáveis é nossa obrigação profissional, mas o nosso dirigente Alfredo, faz um follow-up constante para garantir um clima saudável e seguro.
O CONI se preocupa em propiciar  para todas as crianças  convocadas   um conhecimento e uma vivência cultural  da história da civilização da nossa mãe Itália. O conhecimento do idioma e o convívio por uma semana em uma região da Itália e o compartilhamento em eventos sociais e esportivos com jovens de outros países, proporciona as crianças uma experiência que jamais esquecerão e que certamente contribui para a sua formação.

A convivência em grupo é incentivada
A competição é de suma importância para todos nós, as medalhas, as classificações, as crianças naturalmente tem sua auto-estima evidenciada em um grau bastante elevado.
É uma missão para nós dar oportunidades e ampliar a visão de mundo, para essas crianças que representam o Brasil na Itália.
Até hoje com inúmeras participações do Brasil nos Jogos da Juventude o CONI Brasile, proporcionou através de sua organização e gestão o desenvolvimento da Educação, da Cultura e fundamentalmente do Esporte, colaborando com o futuro de nossos jovens.
Sou técnico há muitos anos em delegações do Brasil,  quero parabenizar o presidente e amigo Prof. Alfredo Apicella, pela sua tenacidade em fazer o melhor, isto é algo que falta em muitos dirigentes.
A possibilidade que o CONI-Brasile oferece é  impar para uma criança e um presente para os pais e para o Brasil.
Carlos Ventura - Carlão

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Correr ou caminhar em esteira

 

A escolha é sua






Correr ou caminhar em esteira  é um tema bastante interessante.
O individuo que corre ou caminha em esteira sente na maioria das vezes, que seu rendimento é bom, que seu desempenho é satisfatório.
Este sentimento de aproveitamento do exercicio nem sempre é real, a esteira proporciona  a impressão de resistência, condição ótima de ritmo, velocidade,  mas a realidade pode ser outra.
Correr ou caminhar em esteira oferece algumas vantagens, pois fugimos da poluição, do transito, podemos assistir TV durante a prática, um som melhor audivel de sua musica preferida, em alguns lugares você corre olhando-se no espelho e a auto estima sobe, você tem um controle mais rápido de sua frequência cardiaca.
Dependendo do modelo de esteira, alguma inclinação pode ser feita, e também o relacionamento social em uma academia é mais frequente mais fácil, o personal está ao lado e por ai a fora.
A corrida ou a caminhada ao ar livre, dá uma idéia de esforço maior, o terreno variado, acidentado, a impressão de cansaço se acentua, o praticante tem a idéia de um maior esforço, da distancia percorrida, o exercicio localizado para os membros inferiores é mais dinâmico embora não tão confortavel que a corrida ou caminhada na esteira, mas o resultado com relação a endorfinas e encefalinas dá um maior prazer " o grande barato".
A esteira pode ser pouco proveitosa para pessoas que não tem como finalidade adquirir performance. O prazer depois do exercicio de ter enfrentado, sol, chuva, frio, calor, pisos diferentes, correr ou caminhar sozinho ou acompanhado ao ar livre, na praia, na montanha, no bosque, dá uma melhor qualidade de vida e o sentido de maior liberdade e de um melhor aproveitamento físico.
Correndo ou caminhando na esteira, correndo ou caminhando ao ar livre, o fundamental é ter feito a atividade. Cabe agora a você decidir correr ou caminhar e aonde.
Boas corridas e caminhadas para todos.

Carlos Ventura - Carlão

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Longão para todos

Vitória do Diamantino
 Stramilano
Toda a atividade física requer uma estrutura piramidal para que possa ser alcançada a melhor performance, fundamentalmente os alicerces do corpo humanos não são os ossos, não são os músculos voluntários, mas sim o nosso principal músculo, que é o coração.

Desde pequeno é necessário um trabalho dedicado ao steady state, que sem dúvida alguma proporcionará  a qualquer praticante de atividade física  condições de melhorar sua performance.

Convencionou-se no atletismo que “Longão” é aquele treino cuja distância extrapola a metragem de uma prova de 800m, 1500m, 5000m e assim por diante.

Nós treinadores costumamos solicitar aos corredores, em suas planilhas de treinamento pelo menos um “Longâo” no final de semana.

Os corredores de Meia Maratona e distâncias menores não fogem de forma alguma desta filosofia.
Fisiologicamente, procuramos através do “longão” melhorar as condições de endurance, mental e  física.

O Atleta que estiver condicionado e orientado a fazer treinos que denominamos como “longões” fica mais bem preparado quando solicitado a atingir uma otimização nos objetivos propostos no treinamento.

Vencemos a meia maratona de Milão “ Stramilano “ a meia maratona mais rápida do mundo, bem como por diversas vezes conseguimos o vice-campeonato nesta prova, e em sua preparação a prova, de 21 km e 97 metros, usei com meus atletas, Coquinho, Ferreirinha, Zé João, Diamantino, trabalhos extenuantes em corridas longas de 32 km ou mais em terreno montanhoso.

Treinei atletas especialistas em 400m sobre barreiras, como Homero, Jairo, Lima, Rafael, ou especialistas em 800m como Amílcar, Rosa, Vânia Cristina, Claudia Adolfo e fundistas como Adauto Domingues, Porfírio, Feijoada, Cleber Guilherme, Angel Aguilar – (Chile), Donizeti, irmãos Sarkis, Anastácio – (EUA),  todos faziam longões em suas preparações, e  que sem dúvida atingiram o que  estávamos objetivando.

O trabalho de longa distancia é o melhor preparo que o técnico pode oferecer aos seus pupilos.
Existe uma crença que a longa distancia prejudica a velocidade, entretanto a longa distancia oferece melhores condições de segurança e dar base ao treino de velocidade  em qualquer prova.

Carlos Ventura - Carlão

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Longevidade


A longevidade do homem depende da sua atividade física e mental contínua.
Estar em boa forma é quando o individuo consegue unir seu estado emocional e sua atividade física.
Existe uma diferença entre um individuo que pratica esporte por lazer e o individuo que pratica esporte buscando performance.
A Atividade física para qualidade de vida independe de idade.

Procurar performance é uma atividade delicada colocando o individuo sempre em risco, diversamente da atividade física que objetiva Qualidade de Saúde.
A performance obtida é momentânea, onde o praticante esta sempre no risco de quebrar, no ponto mais alto do movimento físico e emocional,  na alta performance ou no estado próximo o risco de contusões é sempre alto.
Em qualquer idade o individuo deve praticar exercícios físicos desde que preparado emocionalmente para isto.
A corrida em estado de equilíbrio (steady state) onde seguramente os batimentos cardíacos servem de norte no prolongamento do tempo de exercício a atividade cardíaca é controlada de maneira segura.
O homem pode correr longas distâncias em qualquer idade, este tipo de atividade oferece segurança.
Correr uma Maratona, desde que o objetivo não seja de diminuir tempos ou estabelecer marcas pessoais proporciona um incrível dado de performance, principalmente para pessoas acima dos 40 anos.
Toda atividade física para idosos deve ser incrementada, não existe nada contrário a pratica de exercícios aeróbios (sempre com um follow-up de um médico esportivo).
Cito uma frase do saudoso Mario Lago “O TEMPO COMPROU PASSAGEM SÓ DE IDA”, exemplificando, ficamos motivados a praticar a atividade em qualquer faixa etária desde que orientados por profissionais competentes.

Carlos Ventura - Carlão

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

A 1a. Corrida de Rua no Brasil

  A primeira prova de rua no Brasil
            aconteceu há    104 anos.

 Parabéns a Bahia por este fato Histórico 
Transcrevendo recorte de jornal que me foi enviado pelo amigo  Prof. Helio Carneiro, sobre a primeira prova de rua acontecida no Brasil:

" O esporte base Brasileiro nasceu na Bahia em 15 de novembro de 1906, quando foi realizada oficialmente pela 1a vez e oficialmente uma corrida a pé de longo curso
Promoveu essa corrida que tanto sucesso alcançou a ex-Liga Bahiana de Sports Terrestres.
Vejamos o que disse a imprensa da época:
"LONG-RACE - - Realisou-se ante-ontem ás 6, 3/4 da manhã a corrida de longo curso promovida pela L B, S, T.
A partida foi dada por meio de um tiro de revolver pelo Sr. W. Swiggs em frente á Igreja de Nazareth.
Tomaram o arranco os nº. 2, 3 e 4 sendo que o n° 1 não correu por se sentir um pouco encomodado.
"Tomou a frente com alguma vantagem sobre os seus competidores o n° 4 que manteve essa colocação até a altura do Campo da Polvora e cedendo então aos nº. 3 e 2 que o foram destanciando, até que chegando ao Largo da Piedade desistiu de continuar.
Os nº 3 e 2 iam em muito boa marcha, na altura do Forte de São Pedro onde o 3 começou a ir distanciando o 2, que fraqueou em meio do corredor da Vitoria.
" Com o otimo tempo de 16 minutos e 7 segundos chegou ao ponto terminal o nº 3 entrando o nº 2 com atraso de 37" segundos.
Foi juiz de percurso acompanhado a cavalo toda a corrida o sr. José J. Costa Santos que tambem se imcumbiu de tomar o tempo exato da long race.
O nº 3 da corrida é o sr, Hans Schleir, sócio do C.N.R. São Salvador que fez jus ao premio de uma medalha de prata oferecida pela Liga.
O nº 2 que chegou em 2º lugar, é o sr. Herman Guendeville, sócio do  S.C. Victoria.
Os outros dois foram os srs. Ed. Schlapfes nº 1 e A. A. Galeão n. 4 dos 7 inscritos apenas compareceram esses quatro.
O sr. Julio Brandão diretor da C. Linha Circular poz a disposição da Liga  um bonde que conduziu os juizes e corredores aos seus respectivos pontos.
A corrida como se vê foi disputada dentro de todas as regras oficiaes, nada escapando.
Apesar do interesse despertado pelo publico não foi adiante a pratica do pedestrianismo.”  
(Transcrição do jornal da época)

Carlos Ventura - Carlão

domingo, 14 de novembro de 2010

Habilidade mental para correr


Para um bom desempenho na corrida, é importante que a pessoa seja inteligente, não estou me referindo  escolaridade ou mesmo graduação acadêmica.

O desenvolvimento físico unicamente não é sinonimo de exito para correr.
Para se ter o desempenho almejado e qualidade de saúde, fundamentalmente deve o corredor reunir além de boas condições psicológicas, alguns alicerces como alimentação, repouso, motivação, personalidade e sobretudo habilidade mental.
A habilidade mental é responsavel pelas condições positivas, especialmente na prática da corrida.
O equilibrio emocional  (lembre-se " in medium virtus "), a sensibilidade, disciplina, objetivos, coragem, perseverança, levam ao melhor desempenho particular de cada um em qualquer estágio da vida.

Carlos Ventura-Carlão

sábado, 13 de novembro de 2010

Adversários de Valor


Quebrando o "Jejum"


Na espetacular e surpreendente primeira  vitória de José João da Silva o " Zé", na Corrida de São Silvestre de 1980, o Brasil estava  em um "jejum" de mais de 30 anos, onde somente corredores estrangeiros venciam, alguns aspectos devem ser ressaltados.
Na década de 1970, a Fundação Casper Libero organizava preliminares com  mais de quatro mil corredores de todo o Brasil, era um verdadeiro e dificilimo vestibular, todos  querendo se qualificar, uma verdadeira batalha de heróis, na sua maioria anônimos.
José João, um pernambucano disciplinadissimo e humilde por excelência venceu destacadamente duas dificilimas preliminares.
Todos os corredores faziam o percurso da SS dias antes do reveillon, era um ensaio no palco onde eles se apresentariam dias depois no grande espetáculo.
Minha homenagem a todos eles,  vou enumerar alguns já que é impossivel citar milhares de nomes:
Romão, Aluisio, Porto, Bergara,Eloy, Passarinho, Adauto, Parreira, Coquinho, Sergio, Barros, Ferreirinha, Arthur, Assis, Décio, gladiadores destemidos.
Naquela época não tinhamos alguns africanos correndo como hoje, mas talvez a dificuldade fosse maior, pois na vitória em 1980, cerca de 30 paises participavam com atletas olimpicos.
Pisaram o asfalto de São Paulo atletas olímpicos como Zatopeck, Virem, Franjo, Fava, Mora, Theis, Vera, Norris, Salzman, Mamede, Faria, Lopes, Bouster, Lindsay, respectivamente representando
Chekoslovaquia, Finlandia, Iugoslavia, Italia, Colombia, Belgica, Equador, Inglaterra, Alemanha. Portugal,  França, Estados Unidos. A maioria deles batidos em ritmo alucinante por um brasileiro do interior de Pernambuco representando o São Paulo F.C. e o Brasil.
Estamos chegando novamente em mais um final de ano, vem aí a SS, vamos torcer para um brasileiro vencer sem se preocupar com os premios tão cobiçados e desejados  lembrando que na vitoria do Brasil em 80, o prêmio para nosso campeão foi um bicicleta.


Carlos Ventura - Carlão

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Os Beneficios da Educação Física para a criança




Durante o período escolar, a criança está na fase critica de sua formação e crescimento,  é quando uma educação física consciente e bem dirigida pode favorecer o desenvolvimento de todo o seu organismo, provocando o crescimento harmonico e fisiológico, melhorando sua energia e evitando perturbações, doenças, complexos.
O comportamento disciplinado, o silêncio, a atenção na sala de aula que a escola exige, são atitudes que viciam a criança tanto sentada como em pé. Advindo a deformação da coluna vertebral, pela má posição ao escrever, ao digitar, ao carregar a mochila,  a criança sentada durante horas  leva a cifose. Na posição sentada e invariavelmente curvada sobre a carteira ou na frente do computador, terá  um estreitamento do perimetro torácico. Devido  a estas posturas a criança tem uma grande necessidade de movimentos adequados e voluntários.
De tudo isso fica claro que a pratica da Educação Física é imprecindivel na escola principal centro da formação intelectual e espiritual da criança.
A presença constante do Professor de Educação Física leva a capacitação no crescimento infantil de forma ordenada, o Professor é o maestro que orienta dá o ritmo de forma equilibrada desta evolução.
A atividade intelectual pode dar lugar a fadiga mental, levando ao decréscimo das forças orgânicas, os orgãos cansados de uma pessoa congestionam o cerebro, prejudicam a circulação, a respiração passa a ser irregular, todas as funções do corpo, sensitivas, motrizes, mentais se ressentem.
Dai a necessidade da presença ativa do Professor de Educação Física, constante no crescimento da criança no ambiente escolar, a escola tem a obrigação de fornecer aos pais uma assessoria permanente da atividade dos filhos, informando caminhos a serem seguidos.
Enquanto as autoridades e os "doutos" do sistema de educação do pais não se interessarem e priorizarem as aulas de educação fisica, teremos ainda muitas dificuldades no processo de formação de cidadãos educados e saudáveis. A atividade física na escola é uma medida preventiva de saúde.

Carlos Ventura - Carlão

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Primeiro Caminhar

Muito agradavel para mim escrever sobre nossa saúde, saiba que  nós Educadores Físicos somos da área da Saude.
Vamos lá, esqueça o jargão tão batido por todos  " o importante é a qualidade de vida", entendo que para viver bem temos que ter "Qualidade de saúde".
Para termos "qualidade de saúde"  devemos fazer nossa máquina maravilhosa funcionar adequadamente, no trabalho, no lazer, na atividade diaria.
Nosso corpo necessita adaptar-se  para a atividade física, quando uma pessoa  sedentária preocupa-se em ter saúde e decide viver mais e bem, deve  começar a caminhar, esqueçer  a palavra corrida, não corra, não corra mesmo, acredite em um especialista em corridas.
Faça uma avaliação médica, preferencialmente com um médico com especialização na área esportiva, temos no Brasil os melhores médicos especializados em esporte do Mundo.
Para que não haja frustração nem tristeza, inicie sua atividade caminhando lentamente, por cerca de 30 minutos, não ultrapasse os 40 minutos, caminhe vigorosamente, apreciando tudo em sua volta, o que provavelmente não acontece quando você dirige ou vai apressadamente para seus compromissos diários.
Sinta o sabor de viver bem,  sem angustias, jogue seus problemas no lixo, mude radicalmente seus pensamentos negativos para pensamentos agradáveis,  pense em tudo que você gosta,  seja uma pessoa positivista, alegre.  Sergio Cortella, em seu livro Qual a Tua Obra ?"  escreveu: "a angustia é a sensação do nada"
O físico  deve ser preparado lentamente para ter melhor  desempenho,  vocêe  terá  prazer  caminhando lentamente por duas ou tres vezes por semanas, não é necessário fazer isto todos os dias,  surpreedentemente seu coração ficará mais forte, baterá mais vigorosamente , seu estado ofegante quando você sobe  uma escada desaparecerá.
Vai chegar o dia que seu corpo  pedirá para correr, aí sim você poderá correr.
Correr? Não, apenas trotar longo e lentamente, as mudanças serão tão claras que voce será uma outra pessoa,  estará conseguindo "qualidade de saúde"
O único prejudicado será o nosso amigo médico que terá menos um paciente.
Boas caminhadas, dentro de alguns dias falaremos sobre suas corridas , sua frequência cardiáca, estarei me dirigindo a outra pessoa em que você se transformou.
Carlos Ventura - Carlão

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Uma visita a Veneza


Fomos participar pelo São Paulo F.C. na Meia Maratona de Milão,  a Stramilano, uma das meias maratonas mais velozes do mundo.
Zé João, Moacir Marconi, Ferreirinha, eu como técnico, fazem alguns anos, dirigentes do tricolor do Morumbi, foram a Milão prestigiar nossa equipe, Paulo Elysio, Souza,Queiroz,Enrico Vezzani, e também uma das figuras mais importantes do atletismo mundial, o meu grande amigo o saudoso Ademar Ferreira da Silva, bi-campeão olimpico do salto triplo, vencedor em Helsinque e Melbourne,  como curiosidade as duas estrelinhas amarelas no distintivo do SPFC são referentes a estas importantes conquistas.
Durante o período que ficamos em Milão, como sempre no Hotel Manin, dezenas de pessoas se aglomeravam em todos os lugares onde iamos para pedir autografos, não para meus atletas mas para aquele senhor, uma legenda do esporte o brasileiro mais importante, Ademar Ferreira da Silva.
Certo dia Ademar  me disse que gostaria de conhecer Veneza, providenciei um carro com o amigo Michele Mesto, era um Fiat Uno, diga-se de passagem bastante  usado.
Iniciamos nossa viagem para Veneza, estrada marvilhosa, passamos por Brecia, onde treinam os atletas quenianos e trocando ideias sobre nossa estada na Italia e especialmente pela ansiedade do nosso campeão em visitar a linda Veneza.
Faltando uns 30 ou 40 km para chegarmos, o combustivel estava acabando,  imediatamente entramos em um local bastante ermo que tinha um posto de gasolina.
O frentista uma pessoa de aspecto bastante simples começou a encher o tanque e de repente parou, dirigindo-se a mim disse: este senhor não é o Silva?
Disse a ele, que Silva? e prontamente aquele humilde senhor disse, é o grande campeão Ademar Ferreira da Silva e sem muitas delongas, começou a citar os feitos, marcas, resultados de competições. O nosso idolo ficou impressionado de ser reconhecido em lugar tão longinquo no exterior, longe de sua terra, onde ninguem o conheceria desta maneira.
Faço este relato para enfatizar a falta de cultura esportiva, que nossa juventude recebe, aquele frentista provalvelmente teve na sua formação escolar a valorização de esportistas que foram representativos, a valorização dos idolos e o culto de grandes feitos, aqui no Brasil nossa história esportiva não é valorizada.
pois tudo passa rapidamente, vale o momento e a manchete esportiva destacada.
Nossos  ex atletas como Eder Jofre, Miguel de Oliveira, Luiz Carlos Fabre, José Romão, Edgar Mitt, Argemiro Roque, Carlos Mossa, Pedro Henrique de Toledo, Sergio Antonio Tomé,  Nelson Prudencio, João Carlos de Oliveira, Maria Ester Bueno, Norminha, Marlene, Delcy, Wanda dos Santos, Odete Domingues, são nomes desconhecidos pelos nossos jovens, pelo povo em geral.
Para sermos um Brasil Olimpico devemos orientar e educar nossa juventude.
Mas o passeio em Veneza foi maravilhoso, e nosso grande idolo, conheceu ficou feliz e foi muito reconhecido, valorizado por todos.

Carlos Ventura - Carlão.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

A vida gosta de quem gosta dela


Tenho observado colocações de profissionais da área de saúde como médicos e professores sobre o melhor horário para a prática de atividade física, as controversias são enormes. Como educador físico sou da seguinte opinião :
O organismo durante o repouso (sono) entra num estado de letargia e  inconsciência, onde são mantidas as condições mínimas para garantir a vida, acontece a diminuição da FC, os músculos descansam e este estado proporciona uma tranquilidade e consequente recuperação da energia.
Ao despertar nosso corpo vai assumindo sua condição normal de funcionamento, com o ritmo de cada pessoa, como humor, mal humor, falar mais alto, falar mais baixo, resmungar, bocejar. Ao iniciar o dia o individuo adquire a consciência do acontecido no dia anterior, surgindo então um grau de ansiedade, que pode provocar alterações no sistema cardiovascular, logo cedo  antes durante ou após o exercicio.
Entre o despertar e o levantar e iniciar uma atividade física, normalmente a alimentação não é adequada, às vezes ocontece em jejum, as vezes não ocorre com um intervalo adequado para  absorção dos alimentos.
Existem informações da ocorrencia de problemas cardiacos no período matutino, e especialmnte nas segundas feiras, isso se explica pela programação do final de semana acontecido, onde o lazer ocorreu com
intensidade, soma se a  isto a preocupação da atividade profissional que vai ser iniciada na semana,  criando um gráu de ansiedade, com alterações da FC, da PA, má digestão, esforço físico da pelada com os amigos, aquele churrasco maravilhoso com a familia que terminou no fim do dia, horas sentado em frente a TV, tudo isto coloca a o individuo em risco.
Informe seu professor na academia ou no parque o que fez no dia anterior
Sugiro atividade física à tarde, no pôr do sol, pois neste horário o organismo já assimilou maior equilibrio e esta na sua plenitude, como um veiculo com o motor já aquecido.
Estas minhas colocações são para pessoas que fazem exercicios para melhorar a saúde, para viver bem.
Pense nisto ao levantar:  vou eliminar todo meu desgaste de ontem, pois dormi muito bem vou me alimentar excelentemente, meu corpo estará no ponto hoje à tarde e dormirei melhor ainda hoje a noite
Procure gostar da vida, como colocou  Jabor no seu último filme: "A vida gosta de quem gosta dela."
Corra lento e longo

Carlos Ventura - Carlão

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Os Jogos Olimpicos já passaram

Tivemos ontem a prova pedestre da COOP, fui convidado como comentarista da TV+ juntamente com o locutor de esportes da Bandeirantes Nivaldo Prieto, cerca de 12.000 pessoas participaram da corrida que teve 10km.
A largada foi dada às 8h com uma temperatura entre 24 e 27 graus. 
Venceu a prova masculina o atleta Ivanildo dias de Souza com um excelente desempenho com o tempo de
30:27.88
A prova feminina teve como vencedora a atleta do Kenia, Ednah Mukhwana com o tempo de 35:09:.25
O dia estava ensolarado agradável para uma prova pedestre.
Devo ressaltar não apenas a vitoria destes dois atletas, um do Brasil outro do Kenia, mas sobretudo a iniciativa de uma empresa como a COOP que investe em uma atividade tão importante para a saude e qualidade de vida da população, afinal eram 12.000 pessoas correndo, caminhando, protegidas por uma organização impecavel,  a prova foi coberta integralmente pela TV+   mostrando os locais de passagem do novo percurso, e a luta renhida dos atletas em busca da vitória.
O pessoal técnico da TV+ mostrou muita qualidade nesta cobertura com a direção do competente amigo Rafael Spinelli.
Esta prova  percorreu  toda  Av. D. Pedro, Bairro Jardim, Bairro Campestre e voltando para o Largo do IV Centenário.
É necessario que mais empresas participem deste tipo de ação popular, colaborem e patrocinem eventos esportivos como este.
Ouvindo na Radio CBN uma divulgação sugerindo apoio  aos jovens  pois  os Jogos Olimpicos estão ai, no Rio de Janeiro, fico pensando que atletas não se fazem de um ano para o outro, a preparação de um atleta de alta performance demanda muito tempo às vezes anos, os Jogos Olimpicos no Brasil, já passaram, estamos atrasados na preparação de novos talentos que siquer foram descobertos.
Nossa qualidade esportiva ficará devidamente comprovada quando o Governo investir em Educação, e contando com  empresas como a COOP que apoiam a juventude a fazer esportes.


Carlos Ventura - Carlão

domingo, 7 de novembro de 2010

Viciados em correr


Uma pessoa que corre diariamente sem um planejamento adequado pode rapidamente se tornar dependente e viciado em correr.
A atividade de correr em excesso faz o praticante entrar em um estado de euforia, este estado de euforia é criado por endorfinas e encefalinas produzidas pelo organismo,  consideradas endogenas.
Estas endorfinas e encefalinas agem como neurotransmissores e procedem como analgésicos diminuindo a dôr e consequentemente criando um estado de euforia um estado de bem estar, junto ao sistema nervoso central.
O personal, o técnico devem ter a percepção para detectar este estado observando o comportamento do corredor.
Os sinais são evidentes como exagero no comportamento, na postura física, com sintomas de agressividade,
variação de humor passando da caracteristica de tristeza para o excesso de euforia, este é o caminho para o estresse e um passo já próximo do overtraining.
A compulsão por correr é tão negativa quanto o sedentarismo e deve ser tratada.
Um exagero na prática de correr, pode apresentar sinais anos depois da atividade excessiva de corrida,  manifestando-se sutil e inesperadamente.
Geralmente somos bombardeados por informações sobre  práticas de atividades físicas enganosas, que o Marketing promove,  mostrando a possibilidade de um ideal estético, a sociedade de consumo nos fornece todas estas "miragens".
O ideal para quem aprecia correr é procurar o equilibrio com relação a atividade física, buscando qualidade de vida sem exageros.
A auto estima dirá presente e o corredor poderá desfrutar de uma vida feliz e saudável.

Um grande abraço a todos  os corredores.

Carlos Ventura - Carlão

sábado, 6 de novembro de 2010

Pilotos da F1 praticam corrida

No desenrolar do Campeonato Mundial de Formula 1, em todas as etapas observamos a preocupação das escuderias, na preparação física dos seus pilotos.
Correndo a mais de 250 km por hora, fazendo testes de pista, de pneus, de combustivel, acerto de motores classificação para o grid, os pilotos atingem quase que diariamente seus limites de resistência física.
Para que estes extraordináros esportistas profissionais possam chegar quase ao limite de perfeição sem prejuizo a sua saude, é necessario um excelente trabalho de fortalecimento de sua extrutura, muscular e nervosa, e isto se atinge através de uma melhora na capacidade de oxigenação
É exigido do piloto ações e reações em milésimos de segundo, sua vida esta sempre por um fio, para isto seu cerebro deve estar sempre muito bem oxigenado. De 25 a 30% do oxigenio que nosso corpo consome é para o  cerebro, portanto ele é o maior consumidor de 02.
A corrida em regime aeróbio, em steady state ( equilibrio )  possibilita uma melhora significante na capacidade física e emocional do piloto.
Esta semana vimos em Interlagos equipes praticando corrida pelo percurso da pista do autódromo, antes mesmo da montagem de seus carros, preocupadas com as condições cardio vasculares dos seus pilotos.
Ayrton Senna, nosso inesquecivel campeão de sempre e para sempre,  sempre  muito bem orientado pelo amigo Prof. Nuno Cobra, fazia corridas em regime areróbio.
Lembro com muita saudade a presença do nosso idolo, na pista do Centro Olmpico de Treinamento e Pesquisa, correndo longo e lento.
Hoje todas as equipes de Formula 1, tem seus preparadores físicos responsaveis pela condição física  dos pilotos que correm para poderem fazer seus bólidos correrem melhor.

Carlos Ventura - Carlão